A SAÚDE MENTAL NO BRASIL E O ATUAL CENÁRIO DOS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS)

Eraldo Carlos Batista

Resumo


: O objetivo deste artigo é promover uma reflexão sobre os marcos políticos, teóricos e sociais que contribuíram para os avanços ocorridos no campo da Saúde Mental no Brasil. Trata-se de um estudo exploratório descritivo que privilegia, por meio de um breve resgate histórico, a análise do processo de evolução e de transformação da assistência em Saúde Mental no Brasil, a partir da criação dos Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Evidencia-se que nas últimas décadas houve uma ampliação na prestação dos serviços de saúde mental, contudo, a distribuição desses serviços ainda se apresenta de forma desigual entres as regiões do Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, C. C. F.; SILVEIRA, R. P. Família e redes sociais no cuidado de pessoas com transtorno mental no acre: o contexto do território na desinstitucionalização. Rev APS. v. 14, 4, p. 454-463, 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2015.

AMARANTE, P. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2007.

______. (Coord.). Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1995.

______. Uma aventura no manicômio: a trajetória de Franco Basaglia. Hist Cienc Saude, Manguinhos, v. 1, n. 1, p. 61-77, 1994. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

______. Ministério da Saúde. Lei 10.216, de 6 de Abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial da União. Brasília, 6 de abril de 2001.

______. Ministério da Saúde. SAS/DAPES. Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. Saúde Mental em Dados ‐ 10, v. 7, n. 10, Brasília, 2012. Disponível em

. Acesso em: 27 nov. 2015.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual do Programa “De Volta para Casa” / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. - Brasília: Ministério da Saúde, 2003.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. DAPE. Coordenação Geral de Saúde Mental. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas. OPAS. Brasília, novembro de 2005.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

CARDOSO, L.; GALERA, S. A. F.; VIEIRA, M. V. O cuidador e a sobrecarga do cuidado à saúde de pacientes egressos de internação psiquiátrica. Acta paul. enferm., v. 25, n. 4, p. 517-523, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2013.

FEITOSA, K. M. A. et al. (Re)construção das práticas em saúde mental: compreensão dos profissionais sobre o processo de desinstitucionalização. Psicologia: teoria e prática, v. 14, n. 1, p. 40-54, 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2013.

FOUCAULT, M. História da loucura na idade clássica. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

HIRDES, A. A reforma psiquiátrica no Brasil: uma (re)visão. Ciênc Saúde coletiva, v. 14, n. 1, p. 297-305, 2009. Disponível em: . Acesso 11 de out. 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Resultados da amostra do censo demográfico 2010, Rio de Janeiro: IBGE, 2010

MACIEL, S. C. et al. Reforma psiquiátrica e inclusão social: um estudo com familiares de doentes mentais. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 29, n. 3, p.436-447, 2009. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2013.

OLIVEIRA, F. Construindo saberes e práticas em saúde mental. João Pessoa: Ed. UFPB, 2002.

OMS – Organização Mundial da Saúde em 2010 sob o título: The World Health Report – Health Systems Financing: The Path to Universal Coverage

Relatório Mundial da Saúde – financiamento dos sistemas de saúde: o caminho para a cobertura universal. 2001.

PINHO, L. B.; HERNÁNDEZ, A. M. B.; KANTORSKI, L. P. Serviços substitutivos de saúde mental e inclusão no território: contradições e potencialidades. Cienc. Cuid. Saude, v. 9, n. 1, p. 28-35, 2010. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2015.

PRAZERES, P. S. MIRANDA, P. S. C. Serviço substitutivo e hospital psiquiátrico: convivência e luta. Psicol. cienc. prof., v. 25, n. 2, p. 198-211, 2005. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2015

RIBEIRO, M. C. Os Centros de Atenção Psicossocial como espaços promotores de vida: relatos da desinstitucionalização em Alagoas. Rev Ter Ocup Univ., São Paulo, v. 24, n. 3, p. 174-82, 2013. Disponível em: . Acesso em 13 jan. 2016.

SEVERO, A. K. S. et al. experiência de familiares no cuidado em saúde mental. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 59, n. 2, 2007. Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2013.

SOUZA, A. M. A. Demanda de saúde mental na estratégia saúde da família em Recife-PE: aspectos epidemiológicos. 118 f. Dissertação (Mestrado em enfermagem) – Universidade Federal de Pernambuco, 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2015.

VIDAL, C. E. L.; BANDEIRA, M.; GONTIJO, E. D. Reforma psiquiátrica e serviços Residenciais terapêuticos. J Bras Psiquiatr., v. 57, n. 1, p. 70-79, 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2014

YASUI, S. Rupturas e encontros: desafios da Reforma Psiquiátrica brasileira. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.