A INCLUSÃO E A INTERAÇÃO DA PESSOA SURDA NA SOCIEDADE OUVINTE

MARCUS GARCIA DE SENE

Resumo


Neste trabalho objetivamos apresentar uma revisão da importância e a imediata necessidade do surdo se incluir na sociedade ouvinte e na escola regular. Para isso, fizemos um apanhado de trabalhos de pesquisadores renomados na área de educação especial como Lacerda (1999, 2000), Sá (2002) e Goldfeld (2002), entre tantos outros. Além disso, destacamos alguns dispositivos legais que embasassem os direitos das pessoas com deficiência auditiva em relação a alguns espaços sociais.  


Texto completo:

PDF

Referências


BATISTA, C. A. M. et al. Inclusão dá trabalho. Belo Horizonte: Armazém de ideias, 2000.136p.

____. Inclusão e construção na diversidade. Belo Horizonte: Armazém de Ideias, 2004. 184p.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 30 jun 2009.

____. Lei n° 10.845, de 5 de março de 2004. Institui o Programa de Complementação ao Atendimento Educacional Especializado às Pessoas Portadoras de Deficiência e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 4 julho de 2016.

_____. Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2016.

BOTELHO, P. Segredos e Silêncios na Interpretação dos Surdos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA E LINHAS DE AÇÃO: sobre necessidades educacionais especiais. Brasília: Corde, 1994.

FELTRIN, A. E. Inclusão social na escola: quando a pedagogia se encontra com a diferença. São Paulo: Paulinas, 2004.

FENEIS, 2011. - Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos: Disponível em :

GÓES, M.C.R. Linguagem, Surdez e Educação. Campinas/ SP, Editora Autores Associados, 1996.

KIKUICHI, V. Z. F.; REZENDE, D. K.; GAHYVA, D. L. C.; SCUSSEL, D. R. MARTINS, S. E. C. O desenvolvimento da criança surda com enfoque no desenvolvimento da linguagem e cognição. In: Vivian Zerbinatti da Fonseca Kikuichi; Daniela Kamimura Rezende; Dáphine Luciana Costa Gahyva; Denise Rodovalho Scussel; Sandra Eleutério Campos Martins. (Org.). Processos interativos com a pessoa surda. 1 ed. São Paulo: Pearson, 2011, v. 1, p. 21-40.

LACERDA, C.B.F. A Criança Surda e a Língua de Sinais no Contexto de uma Sala de Aula de Alunos Ouvintes. Relatório Parcial do Projeto de Pesquisa FAPESP Proc. n. 98/02861-1, 1999.

____A criança surda e a língua de sinais no contexto de uma sala de aula de alunos ouvintes - Relatório Final FAPESP Proc. nº 98/02861-1, 2000.

MARCHESI, A. A Educação da Criança Surda na Escola Integradora, In COLL, C. PALÁCIOS, J. E MARCHESI, A. Desenvolvimento Psicológico e Educação- Necessidades Educativas Especiais e Aprendizagem Escolar, Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

MOURA, M.C. O surdo: caminhos para uma nova identidade. Rio de Janeiro: Reiventer, 2000.

PERLIN, G. Identidades Surdas. En C. Skliar (Org.): A Surdez. Um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Editora Mediação, 1998.

SÁ, N. R. L. Os estudos surdos. Revista da Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos, Rio de Janeiro, 2002

SASSAKI, R. K. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. 7. ed. Rio de Janeiro: WVA, 1997,176p

STROBEL, K. As imagens do outro sobre a cultura surda. 2. ed. rev. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2009.

VOLTERRA, V.- Linguaggio e sorditá – parole e segni per l’ educazione dei sordi. Firenzi: La Nuova Itália, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.