EM DEFESA DA NÃO ANTECIPAÇÃO DE CRIANÇAS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM

GEISA MARA ALVES DA SILVA, LAIRA BREGOLATO LISBOA, MARCIA CAMILA SOUZA AMORIN, LUZIRENE MORAES DA SILVA SOUSA

Resumo


Este artigo visa ilustrar uma realidade cada vez mais presente em salas de aulas, que é o adiantamento de crianças para uma série a mais da prevista para sua idade. Processo feito sem uma avaliação peculiar do desenvolvimento não só cognitivo, mas também, social e emotivo desses sujeitos aprendentes. Fato que deixam os educadores cada vez mais em situações que contradizem sua formação e prática pedagógica.


Referências


DE LA TAILLE, Yves et alii. Piaget, Vygotsky e Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1993.

FERREIRO, Emília. Com todas as letras. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

FREUD, S. Três ensaios sobre a sexualidade. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1973.

LEMLE, Miriam. Guia teórico do alfabetizador. 1 ed. São Paulo: Ática, 1993.

MACEDO, Lino. Ensaios Construtivistas. 3. Ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, (1994)

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1974.

PIAGET, J. To Understand is to Invent. Nova York: Basic Books, 1973.

PIAGET, J. Aprendizagem e Conhecimento. São Paulo: Freitas Bastos, 1974.

PIAGET, J. Seis estudos de Psicologia, Rio de Janeiro: Forense, 1987.

SILVA, Carmem Luci da Costa. A criança na linguagem: enunciação e aquisição. Capinas:Pontes, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.