AUTOMEDICAÇÃO DE DIPIRONA ASSOCIADA À AUSÊNCIA DA ATENÇÃO FARMACÊUTICA

KATIUSCIA DA ROSA, AUREA DAMACENO ALVES, ANNA LETTYCIA VIEIRA DOS SANTOS

Resumo


uso indiscriminado, o fácil acesso e a ausência da atenção farmacêutica. Com base nesses dados, este estudo tem como objetivo, estimar a prevalência e os problemas reais da automedicação à dipirona, relacionados com a ausência da atenção farmacêutica, demonstrando a quantidade e frequência do consumo desse medicamento pela população. A amostra foi composta por 50 consumidores de dipirona, maiores de 18 anos, com abordagem quantitativa e qualitativa, obtidos por meio de questionário estruturado direcionado ao tema. Como resultado, tivemos 40 do sexo feminino e 10 do sexo masculino, a faixa etária prevalente foi de 19-29 anos, dos 50 participantes apenas 01 não possui dipirona em casa, sendo que 37 deles não receberam nenhum tipo de informação ao adquirir o medicamento e a variação de dose é entre 12 à 40 gotas. O estudo mostrou que além desse medicamento não ser dispensado sob prescrição médica devido ao seu uso indiscriminado, a orientação farmacêutica se encontra escassa, favorecendo a automedicação.


Referências


ABEC – FACULDADES UNIDAS DO VALE DO ARAGUAIA. Elaborando Trabalhos Científicos – Normas para apresentação e elaboração. 3ª Edição Revista e Ampliada/ Univar – Faculdades Unidas do Vale do Araguaia. Barra do Garças/MT: Editora ABEC, 2015.

BASTIANI, A., ABREU, L.C., SILVEIRA, K.L., LIMBERGER, J.B. O uso abusivo de

medicamentos. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, V.6, n.1, p 27-31, 2005.

CASTRO, M. S.; CORRER, C. J. Pharmaceutical care in community pharmacies: practice and research in Brazil. The Annals of Pharmacotherapy, Cincinatti, v. 41, n. 9, p. 1486-1493, 2007.

CHAGAS, I. D. S. Visão do pacientes sobre a importância da assistência prestada em uma farmácia do município de Rio tinto- PB, 2012. Publicada em Abril de 2013. Disponível em: http://rei.biblioteca.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/535/1/IDSC11072014 .pdf. Acesso em: 04 de Setembro de 2016.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Centro Brasileiro de Informações sobre Medicamentos. Brasília-DF, Junho de 2012. Disponível em: http://www.cff.org.br /userfiles/file/noticias/Parecer%20Cebrim%20042012.pdf. Acesso em: 05 de Setembro de 2016.

DANIELI, P.; LEAL, M. B. Avaliação da segurança da dipirona: Uma revisão. Rev. Bras. Farm., p. 17-20, 2003. Disponível em: . Acesso em: 28 de fevereiro de 2016.

DIOGO, A. N. M. Dipirona: Segurança do uso e monitoramento da qualidade de comprimidos orais. Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde. Fundação Oswaldo Cruz. Disponível em: . Acesso em: 06 de março de 2016.

FARINA, S. S.; ROMANO-LIEBER, N. S. Atenção Farmacêutica em Farmácias e Drogarias: existe um processo de mudança? Saúde e Sociedade, v. 18, n. 1, p. 7-18, 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v18n1/02.pdf>. Acesso em 15 de Setembro de 2016.

FERRACINI, F. T.; BORGES FILHO, W. M. Prática farmacêutica no ambiente hospitalar. 2. Ed., São Paulo: Atheneu, 2010. 396 p.

LUCCHETTI, G. et al. Pancitopenia associada ao uso de dipirona. Relato de caso. Rev Bras Clin Med, São Paulo, p 72-76, 2010 Disponível em: . Acesso em: 28 de fevereiro de 2016.

LYRA JUNIOR, R. P.; MARQUES, T. C. As bases da dispensação racional de medicamentos para farmacêuticos. 1. Ed., São Paulo: Pharmabooks. 2012. 264 p.

MELO, E. B.; TEIXEIRA, J. J. V.; MÂNICA, G. C. M. Histórico das tentativas de liberação da venda de medicamentos em estabelecimentos leigos no Brasil a partir da implantação do Plano Real. Ciência e Saúde Coletiva, 2007. Disponível em: . Acesso em: 09 de outubro de 2016.

MENEZES, E. A.; OLIVEIRA, M. S.; CUNHA, F. A.; PINHEIRO, F. G.; BEZERRA, B. P. Automedicação com antimicrobianos para o tratamento de infecções urinárias em um estabelecimento farmacêutico de Fortaleza (CE). Infarma, Brasília, vol. 16, pp. 056-059, 2004.

MIRANDA, E.S.; FITZGERALD, J. F.; OSÓRIO-DE-CASTRO. C. G. S. A methodological approach for the evaluation of preparedness of pharmaceutical services. Rev Panam Salud Publica, v. 34, n. 5, 2013.

RAMOS, V. O. A automedicação por dipirona no município de Redenção da Serra. Disponível em: . Acesso em: 28 de fevereiro de 2016.

SERAFIM, E. O. P. et al. Qualidade dos medicamentos contendo dipirona encontrados nas residências de Araraquara e sua relação com a atenção farmacêutica. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, v. 43, n.1 jan/mar., 2007. Disponível em: . Acesso em: 28 de fevereiro de 2016.

SILVA, G. M. S. et al. Análise da automedicação no município de Vassouras – RJ. Infarma, Rio de Janeiro, vol. 17, nº 5/6, 2005. Disponível em: . Acesso em 09 de Outubro de 2016.

STORPIRTIS, S. et al. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. 1. ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013, 489 p.

VALE, N. Desmistificando o uso da dipirona. Disponível em: . Acesso em: 06 de março de 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.