INCIDÊNCIA DE IDOSOS VÍTIMAS DE QUEDAS ATENDIDOS NO CENTRO DE REABILITAÇÃO DO MUNICÍPIO DE BARRA DO GARÇAS

VERIDIANA POLICARPO TENORO, TATIANA LIMA DE MELO, ABEL POMPEU DE CAMPOS JUNIOR, JOSIANE RIBEIRO FONTOURA, JULIANA WEILER

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo analisar a incidência de idosos vítimas de quedas, atendidos no CER II no ano de 2015. Foram atendidos 50 idosos, sendo 33 do gênero feminino e 17 do gênero masculino e a faixa etária predominante é de 60 a 79 anos. As principais causas de quedas constatadas foram piso molhado/liso e queda no banheiro, as maiores consequências são as fraturas e dores. A cinesioterapia é o procedimento mais utilizado seguido de eletrotermofototerapia. Estes dados mostram que há necessidade de maiores cuidados domésticos e conscientização às famílias e cuidadores para não deixar pisos molhados ou muito encerados e também adaptar os banheiros para evitar as quedas e que a fisioterapia está envolvida tanto na reabilitação quanto na orientação das atividades de vida diária dos idosos melhorando sua qualidade de vida.


Texto completo:

PDF

Referências


ABEC, Associação Barragarcense de Educação e cultura. Elaborando Trabalhos Científicos: normas para apresentação e elaboração. Barra do Garças: Faculdades Unidas do Vale do Araguaia – Editora ABEC, 2015.

AGNE, J. E. Eletrotermoterapia: teoria e prática. Santa Maria: Palotti, 2004.

ALMEIDA, T. et al. Análise de fatores extrínsecos e intrínsecos que predispõe a quedas em idosos. Rev Assoc Med Bras; v. 58, n. 4, p. 427-433, 2012.

ÁLVARES, L. M.; LIMA, R. C.; SILVA, R. A. Ocorrência de quedas em idosos residentes

em instituições de longa permanência em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 26, n. 1, p. 31-40, jan, 2010.

FABRÍCIO, S. C. Causas e conquências de quedas de idosos atendidos em hospital público. Rev. Saúde Pública, v. 38, n. 1, p.93-99, 2004.

GUIMARÃES, L. H. C. T. et al. Comparação da propensão de quedas entre idosos que praticam atividades físicas e idosos sedentários. Rev. Neurociências, v. 12, n. 2 - ABR/JUN, 2004.

KISNER, C. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. 5. Ed. Barueri – SP: Manole, 2009.

LOW, J. et al. Eletroterapia explicada: princípios e práticas. 3. Ed. Barueri – SP: Manole, 2001.

MAZZO, G. Z. et al. Condições de saúde, incidência de quedas e nível de atividades físicas dos idosos. Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 11, n. 6, p. 437-442, nov./dez. 2007.

MOURA, R. N. Quedas em idosos: fatores de risco associados. Rev. Gerontol. v. 7, n. 2, p. 15-21, 2009.

PAIXÃO JÚNIOR, C. M.; HECKMANN, M. Distúrbio da postura, marcha e quedas: In: FREITAS, E. V. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

PEREIRA, S. R. M. Quedas em idosos. Rio de Janeiro (RJ): Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 2001.

PRENTICE, W. E. Técnicas em reabilitação musculoesquelética. Porto Alegre: Artmed, 2003.

REBELATO, J. R.; CASTRO, A. P.; CHAN, A. Quedas em idosos institucionalizados: características gerais, fatores determinantes e relações com a força e de preensão manual. Acta Ortop Bras, v. 15, n. 3, p. 151-154, 2007.

SANTOS, M. L. C.; ANDRADE, M. C. Incidência de quedas relacionadas aos fatores de risco em idosos institucionalizados. Rev. Baiana de Saúde Pública, v. 29, n. 1, p. 57-68.

SILVA, S. L. A. Avaliação de fragilidade, funcionalidade e medo de cair em idosos atendidos em um serviço ambulatorial de geriatria e gerontologia. Fisioterapia e pesquisa, São Paulo, v. 16, n.2, p.120-125, 2009.

SIQUEIRA, F. V. et al. Prevalência de quedas em idosos e fatores associados. Rev Saúde Pública, v. 41, n. 5, p. 749-56, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.