PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRONIZADO NA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO EM HOSPITAL

ANDRESSA SANTANA GABRIEL, STEPHANIA LUZ POLETO

Resumo


O presente estudo objetiva propor a elaboração de alguns POP, de modo a somar com a uniformidade na execução dos procedimentos realizados na unidade de alimentação e nutrição em um Hospital local. Para a pesquisa utilizou-se um Check-list elaborado pela RDC nº 275/2002, da ANVISA, com foco nos manipuladores. Os resultados apontaram predominância feminina em relação aos manipuladores de alimentos, que não utilizam uniformes, porém possuem vestimentas limpas, conhecem os bons hábitos de higiene, mas não os praticam, possuem supervisão de higiene, o estado de saúde está relativamente precário devido à falta de supervisão, não fazem uso de EPI adequado e na área de produção, possuem pouca capacitação e há o MBP, entretanto, não cumprem por não o conhecerem. É indispensável a presença do Nutricionista na Gestão Hospitalar, por se tratar do profissional responsável pela elaboração dos POP na unidade, contribuindo com a melhoria das condições higiênico-sanitárias.


Texto completo:

PDF

Referências


ABEC – Elaborando Trabalhos Científicos – Normas para apresentação e elaboração/UNIVAR – Faculdades Unidas do Vale do Araguaia. 3. Ed. Barra do Garças-MT. Editora ABEC, p. 121, 2015.

AKUTSU, R. C, et al. Adequação das boas práticas de fabricação em serviços de alimentação. Rev. Nutrição, Campinas, v. 18. n. 3, p. 419-427, 2005.

BADARÓ, A. C.; AZEREDO, R. M.; ALMEIDA, M. E. Vigilância Sanitária de alimentos: Uma Revisão. Revista Digital de Nutrição: Nutrir Gerais, Unileste-MG, v. 1, n. 1, ago./dez. 2007.

BRASIL. Ministério da saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do Paciente em Serviço de Saúde: Limpeza e desinfecção de superfícies. Brasília, 2010. Disponível em:

< http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/4ec6a200474592fa9b32df3fbc4c6735/

Manual+Limpeza+e+Desinfeccao+WEB.pdf?MOD=AJPERES>. Acesso em: 05 de março de 2015.

BRASIL. Ministério da saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Regulamentos Técnicos sobre de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Brasília, 2004. Disponível em:

< http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/4a3b680040bf8cdd8e5dbf1b0133649b/

RESOLU%C3%87%C3%83O- RDC+N+216+DE+15+DE+SETEMBRO+DE+2004.pdf?MOD=AJPERES>. Acesso em: 19 de março de 2015.

BUENO, C. M, et al. Promoção de segurança alimentar em um colégio estadual do município de almirante Tamandaré/PR. Tamandaré-PR, 2011.

CAMARGO, I. L. V.; DOMINONI, M. Padronização dos treinamentos para manipuladores de alimentos e bebidas antes do ingresso nos serviços de alimentação do Sesi em Joinville e Jaraguá do Sul/SC. Florianópolis-SC, 2007.

CAMPOS, V. F. Qualidade total: padronização de empresas. Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni, 1992.

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO (CLT), Lei 6514 de dezembro de 1977. Regulamentação de segurança e medicina no trabalho: Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI), 1997.

DAMIÃO, G. C. Implantação de procedimentos operacionais padrão em uma pequena empresa do ramo de transporte de mercadorias do agronegócio. Horizontina, 2013.

DEON, B. C. et al. Perfil de manipuladores de alimentos em domicílios. Ciência & Saúde Coletiva. v. 19, n. 5. Rio de Janeiro, 2014.

FERREIRA, S. M. S. Contaminação de alimentos ocasionada por manipuladores. Brasília, 2006.

FONSECA L, CORREIA F. M. D. V. A. Qualidade alimentar em restaurantes e estabelecimentos similares do Porto. Alim. Hum. 1:36-39, 1994.

GIARETTA, F. R.; FATEL, E. C.; SIMM, K. C. B.; Avaliação Microbiológica e higiênico-sanitária em uma panificadora do município de Realeza-PR. Realeza, 2006. Disponível em:

. Acesso em: 16 de maio de 2015.

GUIMARÃES, S. L.; FIGUEIREDO, E. L. Avaliação das condições higiênico-sanitárias de panificadoras localizadas no município de Santa Maria do Pará-PA. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, v. 4, n. 2, p. 198-206, 2010.

KETZER , L. T. B. Dificuldades encontradas por nutricionistas na aplicação de boas práticas. Ijuí-RS, 2013.

MELLO, A. G. de. et al. Conhecimento dos manipuladores de alimentos sobre boas práticas nos restaurantes públicos populares do Estado do Rio de Janeiro. Brazilian Journal of Food Technology, v. 13, n. 1, p. 60-68, 2010. Disponível em: . Acesso em: 31 de agosto de 2015.

NORMA REGULAMENTADORA - NR 6. Equipamento de proteção individual – EPI. Portaria SIT n.º 194, de 22 de dezembro de 2006.

NUNES, F. A. Implementação de boas práticas de fabricação (BPF) e do procedimento operacional padrão) em cozinha industrial. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul. Bento Gonçalves-RS, 2009.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Manual de capacitação para manipuladores de alimentos. Disponível em: . Acesso em: 11 de setembro de 2015.

PANZA S. G. A, SPONHOLZ T. K. Manipulador de alimentos: um fator de risco na transmissão de enteroparasitoses? Revista Higiene Alimentar. 22(158):42-47, 2008.

POERNER, N. et al. Avaliação das condições higiênico-sanitárias em serviços de alimentação. Revista Instituto Adolfo Lutz. v. 68 n. 3, São Paulo, 2009.

RIBEIRO D. N, et al. Viabilidade da implantação do sistema de análise de perigos e pontos críticos de controle na preparação de carne assada. Revista Higiene Alimentar, 23(176/177):58-63, 2009.

SACCOL, A. L. F. et al. Importância de treinamento de manipuladores em boas práticas. Disciplinarum Scientia: Ciências da Saúde, Santa Maria-RS, 2006. Disponível em . Acesso em 17 de setembro de 2015.

SILVA, V. E. F. Manuais de enfermagem. Administração em enfermagem. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, p. 59-72, 1991.

SILVA, E. A. Manual de controle higiênico sanitário em serviço de alimentação. 2. ed. Varela. São Paulo, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.